A partir de quarta-feira (20 de outubro), os visitantes e turistas que estiverem em São João del Rei, na região do Campo das Vertentes, terão a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a história dos talentosos artesãos do Vale do Jequitinhonha que será mostrada na exposição “O Barro que Encanta”.

A mostra será exposta no Centro Cultural da Universidade Federal de São João Del Rei (UFSJ), Solar da Baronesa. O evento é promovido pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (SEDE), por meio da Superintendência de Artesanato, em parceria com o Centro de Artesanato Mineiro (Ceart), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-MG) e a Usiminas.

A exposição está inserida dentro da programação do Congresso Nacional de Técnicas para Artes do Fogo 2010, que pela primeira vez será realizado em Minas Gerais. “Acredito que a escolha do local foi em função da tradição do artesanato mineiro e da inclusão dos cursos Arquitetura, Música e Artes Aplicadas na UFSJ”, comenta a superintendente de Artesanato, Maria Amélia Dornelles.

A Superintendente de Artesanato explica que o principal objetivo da participação da SEDE no evento é proporcionar boas oportunidades aos artesãos de comercializarem seus produtos. “Estamos nessa feira com uma curadoria chamada de social, levando cerca de 600 peças que serão comercializadas”. De acordo com a superintendente, “na maioria das vezes, os artífices apenas participam do processo de produção sem atuar diretamente na venda de seus trabalhos”.

Ulisses (Itinga) em seu ateliê

Dona Izabel (Santana) trabalhando no barro

Os trabalhos de artistas como Dona Izabel, de Santana do Araçuaí, Zezinha, de Coqueiro Campo, Ulisses Pereira, de Caraí e Ulisses Mendes, de Itinga estarão reunidos na exposição que revela uma das grandes identidades culturais do Estado (clique em cima de cada comunidade para ver mais sobre os projetos realizados pelo ArteSol nestas localidades).

A exposição “O Barro que Encanta” também irá proporcionar aos artesãos participantes uma troca intensa de experiências. “Durante todo o período, os artífices do Vale do Jequitinhonha terão contato com ceramistas de diversos lugares do Brasil, podendo, dessa forma, conhecer de perto outras técnicas e habilidades do artesanato brasileiro”, finaliza Maria Amélia.

Barro que encanta, por Maria Amélia Dornelles Dangelo

O olhar não consegue ficar indiferente à cerâmica do Vale do Jequitinhonha, herança indígena que vem perpassando gerações.

Paneleias, na sua vida do dia-a-dia, com seu utilitário saber, vão se transformando em oleiras da magia, transformando seus biscoitos de barro em sonhos sonhados, histórias e lendas de seu imaginário que passam a ser objetos do desejo de todos nós, amantes da arte do fogo, no desafio da temperatura dos fornos, ainda em que suas formas mais primitivas.

Jequitinhonha, Jequiti-barro, Jequiti-rio, Jequiti-pranto, poesia, encanto e arte, andanças do coração.

No barro, a história de um povo que na argila esculpe, pinta e borda, tendo no se entorno a inspiração permanente que lhe permite perceber toda a dimensão do homem que ali habita, que desafia a vida e não deixa se intimidar nesse desafio.

Artesãos do Vale do Jequitinhonha: poetas do barro, testemunhas da vida de toda uma comunidade registrada no produto que nasce da criatividade de suas mãos.


Serviço

Exposição “O Barro que Encanta”
Local: Centro Cultural da Universidade Federal de São João Del Rei (UFSJ), Solar da Baronesa – São João Del Rei, Minas Gerais
Data: 20 de outubro a 15 de novembro
Horário: Diariamente: – 8 às 20 horas
Entrada franca

Como Apoiar?

×