Iniciativa integrou o projeto “Empreendedorismo e Comércio Justo na Atividade Artesanal no Brasil”, liderado pela parceria entre BID e ArteSol

Fomentar a discussão em torno do comércio justo, seu cenário atual e as tendências nacionais e internacionais que circundam o tema. Esta foi a proposta do ArteSol/Artesanato Solidário por meio da realização do I Fórum Latino Americano de Artesãos, que aconteceu nos dias 26, 27 e 28 de setembro, no Centro Ruth Cardoso, em São Paulo (Rua Pamplona, 1005, Jardim Paulista). Essa iniciativa compôs o projeto “Empreendedorismo e Comércio Justo na Atividade Artesanal no Brasil”, promovido pela parceria entre BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento e a OSCIP ArteSol.

Envolvendo 16 associações de artesãos, especialistas no tema do comércio justo e parceiros do projeto, o Fórum foi constituído de programação intensa, propondo a realização de oficinas, palestras e painéis de discussões, priorizando o canal aberto para a troca de experiências. Cerca de oitenta pessoas, passando por todos os públicos listados, estiveram presentes no evento.

O evento foi aberto ao público apenas no dia 28, já que os dois primeiros dias foram dedicados à consolidação da rede dos artesãos participantes do projeto. O evento foi gratuito.

A realização do Fórum foi uma ação estratégica na formação dos artesãos, com foco na melhora da autonomia e do espírito empreendedor. Ele representou um momento onde todos puderam trocar experiências e conhecimentos, compartilhando dificuldades e sucessos. “Os objetivos centrais do Fórum envolveram o diagnóstico das influências do comércio justo na abertura de mercado para o artesanato e o estímulo à inserção dos artesãos brasileiros nas redes de comércio justo”, afirma Maria do Carmo Abreu Sodré Mineiro, presidente do Conselho Diretor do ArteSol.

ArteSol, BID, Accenture, Instituto Lojas Renner e Instituto Camargo Correa – unidos pelo fortalecimento da rede de artesãos

Somando dez anos de atuação em mais de 90 localidades brasileiras, o ArteSol consolidou sua tecnologia social tendo o artesão como protagonista no que se refere ao desenvolvimento local. Entretanto, o acúmulo de experiência dos trabalhos em campo mostrou que a principal dificuldade enfrentada pela maioria das associações de artesãos é justamente a comercialização de seus produtos.

A fim de contribuir com a transformação dessa realidade e focando também na sustentabilidade das associações, ArteSol, BID e parceiros formaram laços pelo projeto “Empreendedorismo e Comércio Justo na Atividade Artesanal no Brasil”, que objetiva contribuir para o aumento do protagonismo de associações e cooperativas de artesãos por meio da formação de uma plataforma comercial comum, com base nos princípios do comércio justo. Por consequência, busca-se também a exploração de novos mercados consumidores, bem como a valorização e a preservação do artesanato de tradição brasileiro.

Iniciado em outubro de 2009, “o projeto já cumpriu grande parte do seu plano de trabalho, tais como visitas de diagnóstico às 16 associações, oficinas de fortalecimento institucional e consultoria solidária entre as mesmas, pesquisa e prospecção de novos mercados, desenvolvimento de material didático sobre comércio justo, e irá concluir as ações com o I Fórum Latino Americano de Artesãos”, explica Maria do Carmo.

Programação

26 e 27/09
9h às 17h | Evento exclusivo para os artesãos participantes do projeto “Empreendedorismo e Comércio Justo na Atividade Artesanal no Brasil” para a consolidação da rede “ArteSol pelo Comércio Justo”.

As artesãs fizeram um círculo para debater sobre o Comércio Justo e para dividir experiências

Uma das atividades foi a Consultoria Solidária. As artesãs se reuniram em grupos para prestar assessoria a outras comunidades

28/09
9h às 12h | “Comércio Justo – cenário atual e tendências”
Debatedoras: Ana Asti e Fabíola Zerbini
Tema: discussão sobre o panorama nacional e internacional do movimento do comércio justo.

13h30 às 17h | “Comércio Justo e Empreendedorismo – experiências latinoamericanas”
Debatedores: Red Latinoamericana de Comercialización Comunitária – RELACC (Ruben Tapia/ Equador), Associación Artesanal Boliviana “Señor de Mayo” – Asarbolsen (Carlos Moscoso/ Bolívia) e CIAP (Javier Flores/ Peru).
Tema: compartilhamento de experiências das organizações no mercado do comércio justo e o trabalho em rede desenvolvido em cada país.

18h: Coquetel de abertura da exposição “Representações da Infância: Brinquedos e Brincadeiras” em parceria com o programa Promoart – Centro Nacional do Folclore Edson Carneiro.

No último dia do fórum, artesãos latino-americanos trouxeram suas contribuições sobre o Comércio Justo

Referências dos debatedores

Ana Asti
Formada em Administração pela Faculdade IBMEC – Instituto Nacional de Mercado e Capitais e com mestrado em Ciências Sociais pela UFRRJ – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, atua desde o ano 2000 com o comércio justo. Atualmente, como fundadora e vice-presidente da ONG Onda Solidária, no Rio de Janeiro, desenvolve o projeto da cadeia produtiva têxtil brasileira de comércio justo da marca francesa “Tudo Bom?”. Como consultora do SEBRAE vem atuando desde 2006 no desenvolvimento de projetos de comércio justo junto a grupos de pequenos produtores. É ainda, membro do Conselho Político do FACES do Brasil, a plataforma brasileira de comércio justo e, a nível internacional, diretora Latino Americana da WFTO.

Carlos Moscoso
É um dos principais líderes de microempresa na Bolívia. É o responsável pela gestão comercial da ASARBOLSEM e também é líder da AVINA  para a transformação social latinoamericana. Atua como diretor da Câmara de Exportadores de La Paz (Bolívia), sendo especialista em temas de desenvolvimento produtivo para comércio justo, mercados alternativos de alto valor intangível agregado e produção orgânica certificada. Destacado dirigente de organizações produtivas de La Paz vem trabalhando para a busca de alianças estratégicas com mercados internacionais para a melhoria das cadeias produtivas de alto valor cultural na Bolívia.

Fabiola Zerbini
Advogada, Doutora em Educação Ambiental pelo PROCAM-USP. Foi secretária executiva do FACES do Brasil de 2005 a 2010, atuando na construção do Sistema Nacional de Comércio Justo e Solidário via Conselho Nacional de Economia Solidária e grupos correlatos. Hoje é Secretária Executiva do FSC – Brasil (Conselho Brasileiro de Manejo Florestal), Professora da Faculdade SENAC, e Diretora Presidente do Instituto Kairós – Ética e Atuação Responsável.

Javier Flores Barrientos
Professor e bacharel em Ciências da Educação e Artesanato em tecido de alpaca. Atualmente é presidente da Central interregional de artesãos do Peru (CIAP) e Vice-presidente da Rede Peruana de Comercio Justo e Consumo Ético. Possui experiência de 10 anos de trabalho com organizações de artesãos e comunidades camponesas e 2 anos de trabalho no ensino peruano.

Rubén Tapia
Especialista em Biologia, Ruben sempre esteve envolvido com trabalho comunitário em Quito, no Peru, participando de movimentos pastorais, sendo um deles o Movimento Comercializando como Irmãos (MCCH). Atualmente, é diretor executivo da Rede Latinoamericana de Comercialização Comunitária (RELACC), da qual faz parte desde sua fundação, em 1991. Vem trabalhando na criação das Redes Nacionais de comercialização comunitária nos países latinoamericanos, como forma de contribuir com o processo de construção do mercado justo nestes países.

Veja as fotos do Fórum aqui e clique aqui para ver o vídeo.

4 Comentários para "I Fórum Latino-Americano de Artesãos pelo Comércio Justo"

  1. Pingback: Resultados: ArteSol – Artesanato Solidário

  2. Pingback: Resultados: ArteSol – Artesanato Solidário

  3. Pingback: Imprensa: ArteSol – Artesanato Solidário

  4. Pingback: Imprensa: ArteSol – Artesanato Solidário

Comentários não são permitidos.

Como Apoiar?

×