A Revista Veja, edição 2196 de 22 de dezembro, apresenta uma matéria especial intitulada “Anjos de Carne e Osso”. A matéria apresenta pessoas que “fazem a diferença na vida dos mais necessitados durante o ano inteiro – e não apenas no período das festas de Natal”. A presidente do ArteSol, Carmo Sodré Mineiro, é uma delas. O conteúdo da revista está descrito abaixo.

ANJOS DE CARNE E OSSO

Laura Ming e Sandra Brasil com reportagem de Ronaldo Soares.

Quando chega o fim do ano, é inevitável, mesmo para os corações mais, ser tomado por sentimentos caritativos. As lembranças dos Natais remotos, o pisca-pisca das luzinhas chinesas, os presépios de rua, as musiquetas que compõem a trilha sonora dos shoppings – tudo isso altera a nossa química de tal maneira que passamos a desejar o bem até ao nosso pior ini… Bom, não exageremos. Ao tentar amenizar as mazelas do mundo, a maioria esmagadora das pessoas se compraz em distribuir esmolas nos sinais de trânsito (e, por isso, cresce exponencialmente o número de pedintes neste período). Outra parte age de maneira mais profícua, organizando doações de brinquedos e cestas de Natal para igrejas e outras instituições beneméritas. Passadas as festas, o espírito de ajuda ao próximo arrefece. Mas não para um grupo de homens e mulheres que podem ser comparados a anjos – anjos de carne e osso. Empresários, dentistas, médicos, professores, artistas e jogadores de futebol, cada um em sua área, eles fazem a diferença na vida dos mais necessitados durante o ano inteiro. Como a artista plástica Yvonne Bezerra de Mello, que socorre crianças com dificuldade de aprendizado por causa do cotidiano violento que enfrentam no Rio de Janeiro. Ou o professor Wellington Nogueira, o Dr. Zinho, líder do grupo Doutores da Alegria, que mitiga o sofrimento de meninos e meninas internados em hospitais.

Calcula-se que 6% dos brasileiros dediquem parte de seu tempo a trabalhos assistenciais. Mas ainda há muito espaço para o crescimento da filantropia no país. Uma boa iniciativa nesse sentido seria diminuir – ou eliminar completamente, sejamos ousados – os entraves burocráticos para quem quer abrir uma associação de benemerência sem fins lucrativos. Ainda assim, só em 2007, 10 bilhões de reais foram doados no Brasil a essas instituições.

CARMO SODRÉ MINEIRO, de 58 anos, do ArteSol

Há oito anos, Carmo Sodré Mineiro se divide entre a administração das cinco propriedades de sua família e o trabalho voluntário com artesãos de todo o país. Quando foi convidada pela ex-primeira dama Ruth Cardoso, que morreu em 2008, para atuar no programa Artesanato Solidário (ArteSol), Carmo vislumbrou a oportunidade de resgatar uma prática que fez parte da sua adolescência. Filha do ex-governador paulista Abreu Sodré, Carmo acompanhava a mãe em atividades assistenciais: “Herdei dela o olhar para o outro e a vontade de agir”, diz. Depois da morte da amiga Ruth, Carmo assumiu a presidência do ArteSol, que já formou 92 associações de artesãos no país, treinou 5 000 profissionais e beneficiou mais de 20 000 pessoas. O ArteSol é financiado com recursos públicos e por empresas que atuam nas cidades onde vivem os artesãos.

4 Comentários para "Carmo Sodré Mineiro, presidente do ArteSol"

  1. Pingback: Imprensa: ArteSol – Artesanato Solidário

  2. Pingback: Imprensa: ArteSol – Artesanato Solidário

  3. Pingback: Clipping Digital: ArteSol – Artesanato Solidário

  4. Pingback: Clipping Digital: ArteSol – Artesanato Solidário

Comentários não são permitidos.

Como Apoiar?

×