ARTESOL e Mundaréu, organizações precursoras na prática do comércio justo no segmento artesanal no Brasil e membros da WFTO, há mais de 10 anos vêm trabalhando para combater a pobreza, promover a inclusão socioeconômica e a sustentabilidade.

Por acreditarem que o trabalho em rede é o caminho para alcançar resultados maiores e mais duradouros, ARTESOL e Mundaréu se articularam para desenvolver ações conjuntas de divulgação e fortalecimento do Comércio Justo, especialmente nesta data de comemoração mundial.

Conheça as ações. Ao se envolver com o movimento, você faz a diferença!

– Leia a Cartilha do Comércio Justo que explica a história, o conceito, os princípios e as estratégias e divulgue para a sua rede de contatos [PDF] [Scribd]
– Participe das discussões via facebook e concorra a kits do comércio justo. [Discussões] [Como participar e sorteio]
– Assista ao vídeo [o vídeo estará disponível a partir do dia 14 de maio nos canais youtube do ARTESOL , da Mundaréu e da WFTO].

Sobre o Comércio Justo

“O Comércio Justo é um movimento social e econômico criado como uma alternativa ao comércio convencional. Ele leva em conta, além de critérios econômicos, valores éticos, sociais e ambientais preocupando-se com a construção de um mundo melhor, contribuindo com o bem estar dos produtores, com a garantia da justiça social e com o desenvolvimento sustentável das comunidades locais e do mundo como um todo.” (Fonte: Cartilha do Comércio Justo, 2010, ARTESOL)

O comércio justo é uma proposta de inclusão socioeconômica que surgiu nos EUA e Europa, em meados dos anos 40. Buscava promover o acesso ao mercado internacional de pequenos empreendimentos do hemisfério sul: uma atitude progressista, de grupos preocupados com as disparidades socioeconômicas no mundo.

A partir dos anos 60 foram abertas as primeiras lojas, na Holanda e foram sendo criados empreendimentos organizativos, que envolviam as várias instâncias do comercio justo: desde organizações de apoio e comércio como a WFTO (World Fair Trade Organization), até as que criaram selos que garantem a origem, os processos de produção, assim como o beneficio aos produtores como a FLO (Federation of Labelling Organizations).

Hoje, o movimento é mundial envolvendo varias instâncias organizativas como redes nacionais de comerciantes e plataformas nacionais de produtores e apoiadores, dando ao fair trade uma feição local, nos inúmeros países onde é praticado.

Leia aqui os princípios do comércio justo.

Sobre a Associação Mundaréu

A Associação Mundaréu é uma organização sem fins lucrativos fundada em 2001, que tem como missão a geração de trabalho e renda para comunidades excluídas do mercado formal de trabalho, através do estímulo à produção e comercialização de produtos artesanais e manufaturados, e da constituição de pequenos empreendimentos sustentáveis.

Considerando as peculiaridades dos grupos populares de produção, a Mundaréu definiu parâmetros que orientam esse relacionamento, com base no comércio justo  no Brasil. A instituição é membro reconhecido pela WFTO, desde 2007.

A Mundaréu abriu, em maio de 2002, a primeira loja de comércio justo no mercado interno brasileiro, dedicada ao segmento da produção artesanal. Este varejo se constituiu numa das formas de acesso ao consumidor final.

Através do Programa de Qualificação de Empreendedores, com oficinas de aperfeiçoamento técnico e comercialização dos produtos, foram alcançados importantes resultados como: crescimento da renda individual (entre 75% e 360% nos diversos grupos); crescimento do volume de vendas (variação entre 74,5% a 473%), criação de 22 grupos de produção e mais de 800 novos produtos, através de projetos, para comunidades localizadas em diversos pontos do país.

2 Comentários para "ARTESOL e Mundaréu, em parceria, celebram o Dia Mundial do Comércio Justo"

  1. Pingback: Imprensa: ArteSol – Artesanato Solidário

  2. Pingback: Imprensa: ArteSol – Artesanato Solidário

Comentários não são permitidos.

Como Apoiar?

×