ARTESOL e Mundaréu, organizações precursoras na prática do comércio justo no segmento artesanal no Brasil e membros da WFTO, se uniram e elaboraram juntas uma série de ações para disseminar o comércio justo e a sua importância para um desenvolvimento sustentável. Entre estas ações estavam a divulgação de notícias sobre o comércio justo, a divulgação da cartilha do comércio justo, o lançamento de discussões e enquetes no facebook e o lançamento de um vídeo sobre o comércio justo, com declarações de Josiane Masson (ARTESOL) e Lizete Prata (Mundaréu).

 

Os resultados das ações foram bem expressivos. Além da repercussão nas redes sociais, também houve um bom retorno na imprensa e em blogs especializados (acesse aqui). A cartilha do Comércio Justo, colocada no Scribd para leitura, já passa dos 280 acessos.

Nas redes sociais facebook e twitter, houve a participação de mais de 80 pessoas (clique aqui para ver os ganhadores dos kits sorteados) que participaram respondendo a enquetes, deixando comentários nas discussões, curtindo e retuitando notícias relacionadas ao comércio justo.

Nas enquetes realizadas no facebook, foram feitas as seguintes perguntas: “Você pagaria mais caro por um produto que não explora a mão-de-obra do trabalhador  e o meio ambiente?” e “Você já comprou algum produto com o selo do comércio justo?”.

A maioria respondeu positivamente às perguntas, porém, algumas pessoas responderam não saber o que é comércio justo. Isso reforça nossa convicção de que é preciso unir forças entre as organizações que trabalham com o comércio justo para mobilizar o maior número de pessoas para a importância deste movimento.

Como Apoiar?

×