No dia 28 de agosto de 2012, em Brasília, aconteceu o encontro entre representantes do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) – o assessor de Relações Internacionais, Marcelo Brito, o diretor do Departamento de Patrimônio Material (DEPAM), Andrey Schlee, e a diretora do Departamento de Patrimônio Imaterial (DPI) Célia Corsino – e, pela Argentina, do diretor de Patrimônio e Museus da Secretaria de Cultura, Alberto Petrina. A reunião integrava a programação do encontro entre a Ministra da Cultura do Brasil, Ana de Hollanda, e o Secretário de Cultura da Nação Argentina, Jorge Coscia, que aprofundaram o diálogo e a cooperação cultural entre os dois países e também assinaram a Declaração de Brasília, um documento que contém uma série de acordos e propostas visando à realização de ações culturais, troca de experiências e aprofundamento do intercâmbio em vários segmentos da cultura.

Os dois países traçam ações para a preservação do patrimônio cultural comum. No campo do patrimônio cultural, realizarão mesas redondas bilaterais, em 2013 e 2014, respectivamente no Brasil e na Argentina. A proposta é definir estratégias para a valorização e a preservação de monumentos e manifestações culturais que envolvem brasileiros e argentinos.

Os países afirmam que se esforçarão no fortalecimento do diálogo entre o governo e a sociedade civil de ambos os países, no âmbito cultural. E que nesse quadro, buscarão promover a criação de uma rede cultural, que fortaleça a interlocução e promoção do intercâmbio de experiências e que facilite a troca de dados e informações entre os Puntos de Cultura e Casas del Bicentenário, na Argentina, com os Pontos de Cultura, as Usinas Culturais e as Praças dos Esportes e da Cultura, no Brasil.

Também acordaram avançar na implementação de foro temática bilateral, conforme previsto na Declaração de Buenos Aires, nas áreas de: políticas culturais, economia criativa e patrimônio cultural.

Leia aqui a Declaração de Brasília.

Fonte original: IPHAN

Como Apoiar?

×