O INPI deferiu a Indicação Geográfica, na modalidade Indicação de Procedência, para a panela de barro de Goiabeiras, produzida em Vitória, no Espírito Santo. O deferimento foi publicado na RPI do dia 26 de julho de 2011. A partir desta data, a Associação das Paneleiras de Goiabeiras (APG) terá um prazo de 60 dias para efetuar o pagamento da taxa prevista para expedir o certificado de registro.

Com o registro das panelas de Goiabeiras, sobe para onze o número de produtos brasileiros com procedência certificada através da Indicação Geográfica. A certificação protege os produtos de eventuais falsificações, garantindo sua procedência e aumentando sua competitividade.

As panelas de Goiabeiras são produzidas artesanalmente com a argila retirada do barreiro do Vale do Mulembá, na ilha de Vitória. O tanino, usado para a impermeabilização das peças, é obtido da casca do mangue vermelho. Tanto a extração da argila como a retirada do tanino são feitos de forma sustentável, garantindo a conformidade com a legislação ambiental. As panelas são produzidas artesanalmente e vendidas, em sua maior parte, por encomenda.

Vale ressaltar que a Indicação de Procedência para o artesanato brasileiro vem crescendo: a primeira foi deferida para o artesanato do capim dourado do Jalapão, no início deste mês, e a segunda, agora, para as panelas de barro. Segundo o técnico de IG que examinou este último pedido, o período de análise durou cerca de um ano apenas, pois o processo não sofreu nenhuma exigência.

Fonte original: INPI

2 Comentários para "Panelas de barro de Goiabeiras recebem 2ª IG para artesanato"

  1. Pingback: Dia das Paneleiras de Goiabeiras: ArteSol – Artesanato Solidário

  2. Pingback: Dia das Paneleiras de Goiabeiras: ArteSol – Artesanato Solidário

Comentários não são permitidos.

Como Apoiar?

×