21.01.2013

No município de Poço Verde, sudoeste do Estado de Sergipe, aproximadamente 200 pessoas têm na tecelagem um meio de complementar a renda familiar. O distrito de Amargosa concentra a maior parte desses artesãos. Ali, a técnica da produção artesanal de tecidos foi passada através das gerações, e hoje, com incentivos governamentais e institucionais, muitas famílias se beneficiam desse empreendimento.

Esse movimento se inicia em 1990, com a chegada de dona Fiinha ao povoado de Amargosa, tendo ela ensinado a um grupo de 10 mulheres o ofício da tecelagem em tear horizontal. Em 1992, com a construção de um galpão de trabalho para as tecelãs, a produção artesanal ganhou força. Desde então, duas ampliações já foram feitas no espaço, além de novos teares que foram comprados. Tudo isso fez crescer a produção e a quantidade de pessoas envolvidas em todo o processo.

Atualmente, o tecido artesanal feito em Poço Verde tem diversos padrões de costura, que, alternadas as cores, criam incontáveis possibilidades para os artesãos. Os tecidos listrados e xadrezes se somam aos feitos em coxonilho mesclado ou multicor e à variedade de desenhos geométricos para dar às redes, tapetes, colchas e almofadas o caráter único que só os produtos artesanais têm.

 

Serviço:

Exposição A tecelagem de Poço Verde
Local: Centro de Arte e Cultura J. Inácio
Avenida Santos Dumont, S/N Orla de Atalaia, Aracju – SE.
De 29 de janeiro a 24 de fevereiro de 2013.
De segunda a sábado, das 9h às 21h, e aos domingos e feriados, das 15h às 21h.

 

Texto fonte: Promoart

 

Como Apoiar?

×