Fonte: MDIC

Brasília (26 de agosto) – Em outubro, começa a operar, em ambiente de testes, uma nova ferramenta para cadastrar os artesãos brasileiros e para unificar informações e gerar dados que irão subsidiar políticas públicas e ações de fomento para o setor do artesanato. Depois de concluído, o Sistema de Informações Cadastrais do Artesanato Brasileiro (Sicab) também irá permitir a emissão de carteiras de identificação funcional para os artesãos.

O sistema foi tema da segunda reunião anual do Programa de Artesanato Brasileiro (PAB) com 19 coordenações estaduais do setor, realizada ontem e hoje no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). O Programa de Certificação do Artesanato Brasileiro também esteve na pauta do encontro e foi definido a criação de um grupo de trabalho para elaborar uma proposta de identificação e certificação do artesanato brasileiro.

Agenda

No decorrer deste ano, o PAB já participou da realização de nove feiras de artesanato no país. Nesses eventos, as vendas dos produtos já contabilizaram mais de R$ 3 milhões. Os próximos eventos previstos são: a 10ª Feira do Tapete na Lagoa do Carro, em Pernambuco; a Feira Internacional da Amazônia; Feira Internacional de Artes, Cultura e Turismo (Exporart), na Bahia; a 22ª Mãos de Minas; e a Feira Internacional de Artesanato  de Belo Horizonte-MG.

Mais informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação Social do MDIC
(61) 2027-7190 e 2027-7198
Ana Cecília Barbosa

2 Comentários para "Sistema de cadastro de artesãos começa a operar em ambiente de testes em outubro"

  1. Moro na Chapada Diamantina,Palmeiras,Bahia,sou artista plástica e trabalho também com papier-maché.Gostaria de fazer uma oficina de papier-maché na cidade de Palmeiras,onde existem muitas(mais de 120)mulheres desocupadas.E com elas,montar uma linha de produção,usando a reciclagem e a criatividade de todas!Sou de SP,moro na Chapada há 12 anos,gostaria de receber orientação e ajuda de voces!Obrigada!Sylvia Motta

    • Sylvia, tudo bom?
      A ArteSol trabalha apenas com artesanato de tradição, que é aquele com valor cultural agregado e que representa o cotidiano do local, normalmente nas tipologias de cerâmica, trançado e cestaria, rendas e bordados, tecelagem, brinquedos, entalhe em madeira e instrumentos musicais, pois o nosso objetivo, além da capacitação e o desenvolvimento humano e técnico, é o resgate cultural desses saberes.
      Infelizmente não trabalhamos com papier-maché.
      Para conseguir recursos para os seus projetos você pode inscrevê-los em editais que algumas instituições abrem para escolher projetos para os quais destinar recursos como os editais do Iphan, de Institutos como o Instituto Renner, Instituto C&A e de empresas privadas como a Votorantin ou até mesmo a prefeitura da sua cidade e Governo do Estado.
      Obrigada pelo seu contato!
      Qualquer dúvida, estou à sua disposição.
      Abraço

Comentários não são permitidos.

Como Apoiar?

×