ArteSol compartilha os conhecimentos adquiridos.

O curso Certificação de Qualidade Para Produtos Artesanais aconteceu no final de 2011, no Centro de Formação de Cartagena das Índias ( Colômbia) promovido pela  Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento ( AECID)e a  Fundación Espanhola para la Innovación de la Artesania (FUNDESARTE). O curso foi dirigido a técnicos de entidades públicas e privadas do segmento artesanal, assim como para associações de artesãos.

O objetivo do mesmo foi unir os três grupos que formam o setor com o objetivo de promover o compartilhamento de informações e a realização de ações coletivas coordenadas através das quais se estabeleçam políticas públicas eficazes, dirigidas à melhoria da qualidade dos produtos artesanais.

A realização do curso foi fundamental para avançar no processo de fortalecimento da relação entre as instituições públicas e privadas do setor na América Latina e sua incidência nas organizações de artesãos, nos temas de qualidade, sustentabilidade, certificação e normalização, bem como um espaço para o intercâmbio de experiências entre os países da América do Sul.

Sobre o conteúdo do curso:
– Introduzir conceitos e aplicações de sistemas de certificação, acreditação, marcas, selos e reconhecimentos.
– Apresentar experiências significativas à escala internacional sobre reconhecimento, modelos de acreditação e certificação.

Os participantes aportaram suas experiências e dúvidas, assim como os problemas que se apresentam na hora de consolidar um sistema de certificação em seus países. Cabe ressaltar que não é um tema fácil e que há muita desinformação a respeito do tema.

O curso contou com dois professores, Sergio González de AENOR/ Espanha e Leila Molina de Artesanías de Colômbia, ambos especialistas em temas de normalização e certificação.

Nos dois primeiros dias, a agenda do curso abordou a revisão de conceitos de normalização e certificação, o estudo das entidades normalizadoras e certificadoras de cada país e dos passos requeridos para estabelecer uma norma. Na prática foi visto as possibilidades que existem para certificar o processo de elaboração de uma determinada peça artesanal ou o produto já terminado.

Nos dois dias seguintes foram abordados temas como: aplicação da normalização e da certificação, aspectos jurídicos, propriedade intelectual e os direitos de propriedade do artesanato. Nessas aulas, todo o processo tanto de normalização como certificação, se explicitou através de um exemplo concreto da consolidação de um selo de qualidade que funciona atualmente na Colômbia.

Além do cumprimento de toda a agenda, durante toda a semana os participantes fizeram distintos aportes que informam sobre o estado atual do setor em cada um de seus países e sobre as recomendações que seu poderiam ter em conta para futuras atividades.

Pode-se averiguar que na maioria dos países não existem normas para produtos artesanais, nem informação suficiente por parte de todos os atores que compõem o setor (entidades públicas, privadas, artesãos) sobre o conceito e as implicações de criar normas para produtos ou processos artesanais.

Por outro lado, existem a necessidade de fortalecer a comunicação, difusão e informação sobre a normalização e certificação, igualmente, é urgente fortalecer a coordenação entre todas as entidades e organizações que compõem o setor em cada país e entre as entidades com competências em artesanato da America do Sul.

O material, em espanhol, com o conteúdo das aulas, estará disponível no site em alguns dias.

 

Por Josiane Masson | Coordenadora Executiva ArteSol

Como Apoiar?

×