Foto: divulgação Bravo!

O ex-presidente fala sobre o legado acadêmico da Dra. Ruth Cardoso, a sua atuação política, a vida doméstica da antropóloga e o movimento formado por alunos, amigos e colaboradores que querem homenageá-la.

FHC mostra uma Dra. Ruth Cardoso que se sentia intelectualmente insegura.  Ruth Côrrea Leite Cardoso estudou Ciências Sociais entre 1949 e 1952.  Começou sua longa carreira como antropóloga, assistente de Egon Schaden, catedrático de antropologia.

Muitas pessoas lhe conferem o mérito de introduzir a antropologia urbana ao Brasil, pioneirismo que assumiu junto de Eunice Durhan, Gilberto Velho e outros.

“Ela adorava lecionar. Preparava aulas demoradamente, expressava-se bem em classe, zelava pelos alunos” diz Fernando Henrique Cardoso para a Bravo! (pg. 30). Ruth escrevia textos, os rabiscava, tinha ideias relevantes, mas preferia ensinar e fazer observações de campo e agir socialmente do que publicar o que escrevia. “Ruth escreveu pouco e publicou menos ainda” diz um trecho da revista.

Ruth Cardoso era interessada em descobrir e analisar os processos socioculturais emergentes, com o intuito de transformar o cotidiano das pessoas, principalmente das comunidades com menor Índice de Desenvolvimento Humano. Mergulhou na rotina das favelas, no feminismo, nos meios de comunicação, no terceiro setor, na adoção de crianças pelas classes baixas. Ruth foi muito importante para a antropologia no Brasil. Defendia as causas feministas e achava que todos da família deveriam ajudar no trabalho doméstico. Cozinhava, adorava jardinagem, tricotava e costurava.

Notabilizou-se por conquistar, dentro e fora da universidade, o respeito e admiração de muitas pessoas, seja sob a faceta de professora e orientadora, seja à frente da Comunidade Solidária. “O programa do governo Fernando Henrique, engendrado pela Dra. Ruth Cardoso, estimulou as ações conjuntas entre Ongs, empresários, movimentos populares e o Estado com o objetivo de erradicar a pobreza.”

Em outubro de 2011 foi lançado o livro Ruth Cardoso: Obras reunidas, que conta com textos inéditos escritos pela Dra. Ruth Cardoso. O livro é resultado de três anos de pesquisas para a seleção dos textos, sendo o mais antigo datado de 1959 e o mais novo de 2004. Segundo Jorge Caldeira, sociólogo, historiador e sócio-fundador da Mameluco, a maioria dos textos compilados foi produzida nas décadas de 1970 e 1980. Leia mais aqui sobre o livro, clique aqui.

Entrevista completa na Revista Bravo! Fevereiro 2012 por Armando Antenore.

No site você pode escutar trechos da conversa com Fernando Henrique Cardoso e ver imagens de arquivo de Ruth e Fernando Henrique.

www.bravonline.com.br

Como Apoiar?

×