Artesãs que fazem parte de associações já capacitadas pelo ArteSol
participarão de exposição na sede da ONU em Nova York.

13.05.2013

Foto ArteSol: artesã Zezinha de Coqueiro Campo – MG.

Um grupo de quinze mulheres artesãs vai apresentar suas peças artesanais na exposição “Mulher Artesã Brasileira”, na sede da ONU em Nova York, nos Estado Unidos, entre os dias 02 a 13 de setembro de 2013.

O programa desenvolvido pela ONU tem como objetivo divulgar a cultura e a economia brasileira por meio das artesãs que fizeram desse tipo de atividade não somente uma forma de subsistência, mas também uma motivação constante de transformação da realidade social. A exposição, além de apresentar o momento atual do artesanato no país, irá proporcionar às artesãs a oportunidade de aprimoramento profissional por meio de ações formadoras, como uma exposição de fotografia e de objetos, participação em uma palestra, divulgação na mídia, dentre outras.

A exposição é uma realização da Associação Brasileira de Exposição de Artesanato (Abexa), com patrocínio do Sebrae e apoio do Instituto Centro Cape, da Ecoarts, da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex – Brasil) e do Programa do Artesanato Brasileiro (PAB) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

As artesãs


Gercina Marina de Oliveira – Central Veredas – Arinos/MG

A artesã Gercina Maria de Oliveira, presidente da Central Veredas Artesanato, representará os nove núcleos de produção do Vale do Urucuia, que são: Arinos, Bonfinópolis de Minas, Buritis, Distrito de Sagarana/Arinos, Distrito de Serra das Araras/Chapada Gaúcha, Natalândia, Riachinho, Uruana de Minas e Urucuia. As artesãs trabalham na fiação, tingimento natural, tecelagem, buriti e bordado; resgatando trabalhos culturais e preservando o saber-fazer artesanal.


Maria José Gomes da Silva (Zezinha) – Coqueiro Campo/MG

A artesã Zezinha, nascida e criada no Vale do Jequitinhonha onde os artesãos produzem uma cerâmica de feições extremamente particulares, que expressa muito de sua sensibilidade e herança cultural.

O barro é a matéria-prima que queimado em fornos domésticos dão forma para coloridos vasos, potes, moringas, enfeites e bonecas. A farta decoração é inspirada na flora local e desenhada com tonalidades terrosas. As diferentes colorações são obtidas de barros diversos, que, tratados conforme técnicas tradicionais produzem os tons que vão do branco ao ocre e marrom avermelhado. A pintura é normalmente feita antes da queima das peças e as tintas são obtidas por meio da mistura do pó do barro com a água. As cores se transformam, após a queima, o barro ocre se torna vermelho e o preto vira branco.


Berenicia Correa Nascimento – Goiabeiras/ES

Berenicia trabalha há 39 anos produzindo as panelas de barro, ícone da identidade cultural do Espírito Santo, e nacionalmente conhecidas, as panelas de barro de Goiabeiras são produzidas conforme antiga tradição indígena. São essenciais no preparo e na apresentação de pratos típicos capixabas, como a moqueca de peixe e frutos do mar e a torta capixaba.

Em 2002, o IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – inscreveu o Ofício das Paneleiras de Goiabeiras no Livro de Registro dos Saberes, reconhecendo essa atividade tradicional como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil. Além disso, em 2011 as panelas de barro de Goiabeiras receberam o selo de Indicação Geográfica (IG) concedida pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), que garante a procedência dos produtos identificados.

Conheça as artesãs selecionadas

1. ACRE – Raimunda Nonata Silva Pinheiro (Kaxinawa)

2. ALAGOAS – Wendy Sherry Oliveira Barros

3. AMAZONAS – Maria Marli das Chagas Oliveira

4. CEARÁ – Maria Miguel de Oliveira (Rozinha)

5. ESPÍRITO SANTO – Berenicia Correa Nascimento

6. MINAS GERAIS – Maria Jose Gomes da Silva

7. MINAS GERAIS – Juracy Borges da Silva

8. MINAS GERAIS – Gercina Maria de Oliveira

9. MATO GROSSO – Neulione Alves Gomes

10. MATO GROSSO – Lucileicka da Silva David

11. PARAÍBA – Maria das Dores Ramos Silva

12. PERNAMBUCO – Ivonete de Moura Santana

13. PIAUÍ – Raimunda Teixeira da Silva

14. RIO DE JANEIRO – Monica Almeida de Carvalho

15. RIO GRANDE DO SUL – Elsa Pozzobon Noal

 

 

Fonte: Folha Vitoria, Jornal do Turismo, Administradores, ArteSol

Como Apoiar?

×