Reprodução Minc

 

O Museu Regional Casa dos Ottoni (MCRO/Ibram), que fica na cidade do Serro (MG), inaugura nesta terça-feira (30) a exposição Congada – Canto de Fé & Liberdade, que retrata o universo das congadas de Goiânia (GO), Catalão (GO) e Serro. Serão expostas 45 imagens registradas pelo fotógrafo, folclorista e jornalista Sidney Dutra, que escolheu seus cliques favoritos para revelar os encantos dos grupos de congo de duas cidades goianas e uma mineira. A mostra ficará em cartaz até o dia 2 de agosto.

Sidney Dutra fez seu primeiro contato com a congada no fim da década de 90 em Itaú de Minas (MG). Em 2000, começou a registrar a congada da Vila João Vaz, bairro de sua cidade natal, Goiânia. Sete anos depois, fotografou pela primeira vez a congada de Catalão. De foto em foto, a paixão pelo colorido e batido das caixas provocou ainda mais sua curiosidade e, em 2012, esteve pela primeira vez na Festa de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos do Serro, que é realizada no primeiro domingo de julho.
A mostra revela o colorido e a diversidade dessa festa que surgiu no Brasil Colônia e viajou para o coração do Brasil. A mais antiga das festas retratadas é a do Serro, que surgiu em 1728, seguida da de Catalão, em 1876, e da de Goiânia, em 1969. O visitante vai poder conferir as semelhanças e diferenças da festa nas três localidades. A congada é criação do negro escravizado que surgiu em solo mineiro e chegou até a capital de Goiás.
O fotógrafo é formado em jornalismo pela Universidade Federal de Goiás. Na busca por mergulhar no universo da congada, já esteve nas cidades de Jacuí, Itaú de Minas, Serro e Catalão. Sidney Dutra conheceu a Festa do Rosário dos Homens Pretos do Serro em 2012 e se apaixonou pela bela congada dos serranos.
Instituto Brasileiro de Museus (Ibram)
Ministério da Cultura
Foto: Sidney Dutra | Reprodução

Como Apoiar?

×