Casa da Zana Crédito: acervo pessoal

Casa da Zana / Crédito: acervo pessoal

Na última semana, a equipe da Artesol foi convidada para viajar até Muzambinho, uma pequena cidade no sudoeste de Minas Gerais, para conhecer a produção têxtil de artesãs da cidade, que atuam com processos coletivos, técnicas tradicionais como a tecelagem manual e soluções sustentáveis como o tingimento a partir de pigmentos naturais extraídos dos jardins das bordadeiras.  Muitas das peças produzidas integram o mix de produtos da Loja Artiz e fazem parte da Rede Artesol, projeto que mapeia grupos e artesãos que atuam com artesanato de tradição em todo o País.

Mayumi Ito em Muzambinho e tecido Amaria

Mayumi Ito em Muzambinho e tecido Amaria. Fotos: Mari Dabbur

Cercada de montanhas, a cidade é repleta de casas históricas, praças arborizadas, ipês coloridos e bodegas apinhadas de queijo, doce de leite, café orgânico e outros clássicos quitutes mineiros. È nesse cenário que vivem dezenas de artistas e estilistas que estão transformando Muzambinho em um verdadeiro polo criativo do estado. A paisagem cheia de nuances inspira a criação de uma moda que tem como traço a sofisticação das peças exclusivas feitas de finos tecidos naturais, com modelagem contemporânea e bordados minimalistas feitos com paciência oriental-mineira.

Artesã e estagiária com meadas tingidas naturalmente para a produção das peças Amaria. crédito: divulgação Amaria

Artesã e estagiária com meadas tingidas naturalmente para a produção das peças
Amaria. crédito: divulgação Amaria

Uma personagem muito importante dessa história é a Mayumi Ito, designer e arquiteta, criadora do Ateliê Amaria, que envolve mais de 30 artesãs locais. Antes de fincar raízes na cidade, a designer passou 15 anos no Japão pesquisando tendências e atuando com produção de moda alinhada aos valores do slow fashion e do fazer manual. Quando desembarcou em Minas Gerais, há 11 anos, Mayumi trazia na mala além de muitas ideias, o desejo de criar de forma coletiva com as pessoas do lugar. Logo identificou o talento de artesãs da área rural que eram autodidatas na arte de bordar, costurar, tecer e tingir. Resolveu então incentivá-las a unir seu potencial em um trabalho conjunto e criativo, mais contemporâneo, que integrasse os saberes locais às peculiares técnicas japonesas da marca Amaria.

Tecidos Amaria

Tecidos Amaria

De acordo com Mayumi, a inventividade das peças Amaria vem dessa conexão. “A gente sempre provoca o desafio de inventar novas coisas e as artesãs trazem a solução com mais possibilidades, novos jeitos de fazer e de bordar. “A soma desse patrimônio do artesanato brasileiro com o conhecimento oriental permite criar uma roupa autêntica”, conta a estilista.  Desse processo associativo então surgem as peças criadas em  pequenas tiragens, através de um processo inteiramente manual em diferentes etapas que começam com a colheita do algodão nas roças da região e incluem a fiação na roca, o tingimento a partir de sementes de café, flores, folhas e casca de cebola, etc.  “Eu saio pela estrada e vou reparando as árvores e no mato. Quando vejo uma coisa bonita, eu levo a folha ou a flor pra casa e fervo pra ver que cor vai dar”, conta Maria José, uma das artesãs que trabalha com a marca Amaria.  Depois de coloridos, os fios seguem para a tecelagem na confecção Santa Edwiges e, finalmente, para os ateliês de costura e bordado. Até a etiqueta das peças é bordada à mão e os botões esculpidos um a um.

Na Casa da Zana

Designers, estilistas e outras profissionais na Casa da Zana

Designers, estilistas e outras profissionais na Casa da Zana

Além do potencial no segmento de alta moda, outra arte do lugar é a arte de bem receber, como se pode constatar se hospedando na Casa da Zana Maria, uma artista que também já ganhou o Brasil e até países da Europa com bolsas de fuxico, xales e vestidos que esbanjam autenticidade e sofisticação. Mais do que seu acervo de criações únicas e cheias de estilo, a casa em si é praticamente uma instalação de arte e está prontinha pra receber quem quer experimentar a mais deliciosa hospitalidade mineira.

 

WhatsApp Image 2017-06-23 at 2.48.24 PM

Criação e criadora Zana Maria Fotos: Paulo Watanabe

A ideia ali é experimentar de tudo um pouco: da arte, da comida, da prosa, da paisagem. Sabe aquela casa que você entra e dá vontade de ficar, se achegar, perder a hora tomando um café até ver sol se por nas montanhas enquadradas da janela? Tudo em volta é inspiração! Cada canto da casa está repleto de fuxicos, bordados e “não coisas” como a Zana chama suas criações que não precisam fazer sentido. Mas sua grande paixão é realmente o fuxico, seja nas cortinas, nas roupas, no banheiro, ou cobrindo a televisão que virou uma luminária musical, onde ela coloca jazz no fim do dia. Quase todos os objetos ali ganham novos sentidos mais divertidos do que os originais. O fuxico é assim também. O charme do seu trabalho está na pesquisa que ela faz com essa técnica, desconstruindo e o reinventando nas mais diversas peças com seda pura e outros tecidos finos. Tudo isso misturado com muito afeto. “Tá faltando afeto no mundo, né? Nas coisas, nos lugares, nos objetos. Aqui em casa a gente tenta fazer tudo com muito amor”, comenta Zana Maria. A experiência de se hospedar ali vale para quem quer se inspirar com a alegria contagiante dessa artista incrível, esquecer do ritmo da cidade grande, degustar uma boa pamonha assada entre tantos outros quitutes, conhecer um ateliê nada convencional e aproveitar a pechincha de um bazar pra lá de divertido.

 

Amaria
Instagram Amaria
www.instagram.com/amaria_muzambinho/
(11) 96138 -1511

Casa da Zana
Muzambinho/MG
Contato: (35) 991889121

 

2 Comentários para "Muzambinho mistura hospitalidade, arte e inovação"

  1. Pena que não publicaram nenhuma foto de trabalho que representasse etapas de nossa pesquisa que culmina com a alta costura dos dias de hj.
    E muito menos citaram a relevância da pesquisa têxtil que implementamos aqui ha mais de 20anos.
    No mais agradeço de coração a citação da Casa da Zana. Meu segundo encanto.
    Voltem sempre!

  2. Achei encantador. Transparece uma riqueza cultural impar, é muito diversificado, com criatividade e bom gosto. Traz o universo para dentro de casa e oferece ao mesmo a beleza e a singeleza que ali dentro se transforma de forma divina e bela.

Comentários não são permitidos.

Como Apoiar?

×