Grupos Artesanais

Há nos grupos artesanais, uma organização própria que varia de acordo com cada um. Porém, é fundamental a reflexão sobre o papel de cada um dentro desta organização e, principalmente, que haja uma constante discussão sobre o foco do grupo, suas dificuldades, e suas potencialidades. Desta forma, todos evoluem, e o trabalho em grupo fica mais agradável.

 

Goianinha

Mestre Artesão

É o detentor do conhecimento em relação à técnica e às histórias tradicionais, repassadas oralmente de uma geração para a outra. Ele repassa este conhecimento aos mais jovens e, desta forma, adquiri respeito e admiração dos outros ARTESÃOS, que são detentores deste conhecimento técnico sobre os materiais, as ferramentas e os processos de sua especialidade.

Aprendiz

É o “auxiliador” da produção artesanal, elabora parte do trabalho que se encontra no processo de capacitação.

A Sede

A sede e sua organização são outro ponto fundamental para um bom trabalho e um bom relacionamento entre o grupo. Neste sentido, há várias formas de união entre artesãos para produção e comercialização do artesanato.

Núcleo de produção familiar

Trabalho realizado por membros da mesma familia, onde o direcionamento do trabalho é gerido pela mão ou pelo pai da família. Não há um sistema de pagamentos, cada um é remunerado de acordo com o quanto necessita para alguma compra ou algum pagamento pontualmente.<

Grupo de produção artesanal

É um grupo de artesãos que atuam no mesmo segmento artesanal e compartilham da mesma extração de matéria prima e materiais em geral para a produção.

Associação

Sem fins lucrativos e de direito privado, é uma forma de organização na qual seus associados lutam por direitos e interesses comuns. São regidas também por estatutos sociais, com eleição para diretoria e tesouraria, em assembleias.

Cooperativa

É uma sociedade de pessoas, onde o objetivo principal é a prestação de serviços e a busca de eficiência na produção e na qualidade dos produtos. Sua estrutura permite  um número ilimitado de cooperados. Constitui-se por intermédio da assembleia dos fundadores ou por instrumento público, e seus atos constitutivos devem ser arquivados na Jun¬ta Comercial e publicados. A cooperativa existe com o intuito de prestar serviços a seus associados, de tal forma que possibilite o exercício de uma atividade comum econômica, sem que tenha ela fito de lucro.

Referência Bibliográfica:

LEITE, R. Proença. Cultura Popular e Artesanato: Dilemas do preservar e consumir. São Cristóvão: XI CISO, 2003.

MASCÊNE, Durcelice Cândida; TEDESCHI, Mauricio. Termo de Referência: Atuação do Sistema SEBRAE no Artesanato. Brasília, março de 2010.

Como Apoiar?

×