4. Preço Justo

Um preço justo, no contexto regional ou local, é aquele que foi acordado através do diálogo e da participação. Além de cobrir os custos de produção e permitir uma produção socialmente justa e ambientalmente racional, também garante que as condições de vida dos produtores melhorem. Entendemos por preço justo aquele que oferece um remuneração justa para os produtores e leva em conta o princípio da igualdade de ganho para mulheres e homens.

Mas é preciso fazer uma consideração: o preço justo também deve ser justo para quem paga. Quando o comprador entende qual é a base que o artesão usou para calcular o preço de seu produto, o pagamento do preço justo é natural, pois ele reconhece que não está sendo explorado. Assim, no cálculo do preço justo não pode haver abuso nem aumento dos custos para encarecer o preço final do produto.

O fundamental do preço justo é garantir o respeito na cadeia: remunerar justamente quem produz e cobrar justamente de quem consome.

Os preços praticados pela Associação dos Artesãos de Massaranduba – RN (ARTMAR) são baseados nas oficinas de formação de preços das quais o grupo participou, e são adotados inclusive em novos produtos. Este preço, que contempla os custos com insumos e mão-de-obra, é atualizado mediante reajustes no salário mínimo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Como Apoiar?

×