Pedro II/PI

Na história da produção artesanal do Piauí, a tradição em tecelagem ganha destaque.

Tema: Tecelagem - 2000 E 2002/2003 (2 Intervenções); 2004/2005

Cidade: Barroca, Santa Fé e São João; Formiga

Duração: 3 anos

Artesãos Beneficiados: 51

Gênero: mulheres; homens e mulheres (em Formiga/PI)

Na história da produção artesanal do Piauí, a tradição em tecelagem ganha destaque, sobretudo em Pedro II, município encravado em região serrana, distante 195 km de Teresina. Sua economia gira em torno da agricultura de subsistência, do comércio de gêneros alimentícios, do artesanato de redes de dormir, colchas e toalhas de extração mineral da opala, pedra preciosa encontrada em larga escala. A confecção de redes iniciou-se nos últimos anos do século XIX, quando o padre Joaquim de Oliveira Lopes, vigário da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, ali se estabeleceu, trazendo em sua companhia as irmãs Honorinda, Mariana e Severa, a quem coube a responsabilidade de introduzir o processo de fazer redes de dormir em teares de grade.

Já neste século, os padres alemães Lotário e Noberto incentivaram a produção e organizaram o setor, contribuindo não só para a fundação da primeira cooperativa de tecelagem como também para a ampliação dos grupos comunitários de produção. Essa ação foi tão importante que seus efeitos são sentidos até hoje no intercâmbio comercial desses produtos com a Alemanha.

Recentemente, de significado expressivo para a expansão da tecelagem em Pedro II foi a criação da Associação Artesanal Xique-Xique. Essa associação é hoje independente, já tendo lançado uma linha básica de produtos centrada no resgate das tradições locais e nos pontos típicos da região, como o “olho-de-pombo”, o “tapeueuirana” e o “catado”, entre outros. São colchas de cama, redes, jogos americanos, mochilas, sacolas de viagem, estojos de viagem, todos tecidos em teares de grade e de parede. Três grupos integram a Associação Xique-Xique: o de Santa Fé, na área urbana do município, onde fica a parte administrativa e comercial; o de São João e o da Barroca, na zona rural. Embora distantes fisicamente, esses grupos possuem uma unidade de produção, que não inibe suas peculiaridades temáticas ou pontos distintos.

Em Pedro II o Artesanato Solidário/ArteSol desenvolveu dois projetos; além do de tecelagem, na sede do município, foi realizado outro, de cerâmica, em Formiga. Embora bastante distante, seus moradores produzem potes e brinquedos em argila. Técnica tradicional passada de pai para filho, a produção e comercialização é uma importante fonte de renda para os artesãos e suas famílias.

Parceiro Financiador: