Criarte - Associação de Criatividade Artesanal de Tocantinópolis

Localização Rua 21 de abril, 335, Centro. - Tocantinópolis/TO - CEP 77900-000
Contatos AbrirFechar

Utilize o formulário abaixo para entrar em contato com este membro da Rede Artesol.

Enviando mensagem. Por favor aguarde.
Sua mensagem foi enviada! Aguarde o retorno do membro da rede contactado, ou fale com a Artesol.
Infelizmente ocorreu um erro no envio da sua mensagem. Por favor utilize uma das formas de contato abaixo.
E-mail neizaniraferreira@hotmail.com
Telefone (63) 9911-1746 / (63) 3471-1424
Contato Neuzanira Ferreira de Brito

As mãos que criam, criam o que?

“Tocantins eras meu rio.
Mais que um rio, eras meu mar.
Nas noites negras de frio,
escutava tu passar.
(...)
Eras tu que me levavas,
para em tuas águas brincar.
Eras tu que me chamavas,
querendo me carregar”.
Fragmento do poema “Rio Tocantins”, de Parsifal Pontes

Na Criarte, palmeiras, entre outras árvores e plantas da flora tocantinense se tornam formas bordadas nas diferentes peças utilitárias e de decoração. Com percal, cambraia e linho, sempre na cor branca, as artesãs alinham as linhas coloridas ao seu dia-a- dia e às suas referências culturais e identitárias. São panos de prato, fronhas, capas de almofada, jogos americanos e guardanapos, tudo trabalhado com muita dedicação. O primor das bordadeiras fica claro na riqueza de detalhes que dá vida às folhas, flores e sementes e frutos das árvores comuns no entorno da cidade que vive à beira do rio Tocantins. Cercadas por palmeiras e coqueirais, como o babaçu, buriti, buritirana, tucum, açaí, bacaba, jataí, jenipapo, pequi, entre outros, as mulheres se inspiram em seus afazeres junto ao rio, como o quebrar dos cocos e o pilar das sementes.

Onde criam?

Situada na margem esquerda do Rio Tocantins, Tocantinópolis, a antiga terra dos índios Apinajés, foi chamada pelos estrangeiros que ali chegaram de Boa Vista. Isso se deu no início do século XIX, quando, em expedição, alguns lavradores partiram pelo interior com o intuito de catequizar os indígenas. Encantados com a região que se mostrava fértil e acolhedora, dois dos lavradores se desgarraram da expedição, dando início ao povoamento de Boa Vista. Logo as boas condições para o plantio da região se espalhou e o povoado passou a ser palco de um processo histórico intrigante em que religião e política se confundiam em um contexto marcado pelo coronelismo. Uma figura emblemática da história de Tocantinópolis é o padre João Lima que, no começo do século XX marcou a vida do povoado, tornando-se não apenas um guia religioso, mas uma autoridade social e política, respeitada por alguns e temida por outros.

Mais tarde, a região privilegiada pela imensa variedade de palmeiras atraiu migrantes do Maranhão, Piauí e Ceará, com a valorização da amêndoa de babaçu. Além das palmeiras, Tocantinópolis se encontra na beira do rio Tocantins, o segundo maior rio que nasce e deságua em território brasileiro. Ele passa por quatro estados do país, sendo importante fonte hídrica para muitas cidades, povoados e comunidades. E assim como outros muitos rios brasileiros, também enfrenta processos graves de degradação, pela presença de hidrelétricas e pelo avanço do Agronegócio.

Quem cria?

A Associação de Criatividade Artesanal de Tocantinópolis nasceu em 2001, com recursos próprios e doações e foi formalizada em 2002. Hoje conta com cerca de 30 artesãs e tem como propósito estimular o senso comunitário e solidário e ser uma fonte complementar de renda para as famílias das mulheres artesãs. A sede do grupo foi cedida por iniciativa privada e é nesse espaço que as associadas concentram as ações de compra de matéria-prima e vendas. O grupo se constituiu a partir de uma capacitação para a atividade artesanal de bordado. A continuidade das capacitações e oficinas forneceu às artesãs referências e ferramentas para novas criações e experimentações com o bordado.

Onde Comprar

Casa de Ana