Grupo Mulheres Artesãs Arte Palha

Localização Canto da Cruz s/n - Palhano/CE - CEP 62910-000
Contatos AbrirFechar

Utilize o formulário abaixo para entrar em contato com este membro da Rede Artesol.

Enviando mensagem. Por favor aguarde.
Sua mensagem foi enviada! Aguarde o retorno do membro da rede contactado, ou fale com a Artesol.
Infelizmente ocorreu um erro no envio da sua mensagem. Por favor utilize uma das formas de contato abaixo.
E-mail institucional@artesol.org.br
Telefone (88) 99302-6259
Contato Maria Zuleide Baltazar da Silva

As mãos que criam, criam o quê?

Os trançados em fibras naturais são um grande patrimônio do nosso país, pois os conhecimentos contidos nos fazeres e usos desenvolvidos pelos povos originários são fundamentais para entendermos as tramas que os envolvem. Reconhecemos essa memória no trabalho com a carnaúba, palmeira abundante na região de Palhano CE. As técnicas de beneficiamento da fibra e trançado de suas palhas são ancestrais; memória dos antepassados é passada de geração em geração através da prática, do gesto, da palavra. 

A matéria prima utilizada é retirada do olho da carnaúba, parte central da folhagem, com uma taboca de 9 metros de altura, esse corte acontece de julho a dezembro e a palha pode ser armazenada por até 1 ano. Sem o talo, as folhas são postas ao sol para secar por quatro dias e envoltas em pano úmido ou no melão caetano para manterem-se maleáveis. A fibra pode ser tingida com anilina das mais diversas cores, depois disso é riscada, ou seja, passa pelo processo de retirada do fino talo da folha e preparada para o trançado. Além do artesanato, das folhas da carnaúba também é retirado o pó que dá origem à cera, comercializada em todo país. 

O grupo também trabalha com a palha de milho que é coletada nas lavouras na época de colheita e pode ser armazenada por até 3 anos sem alteração de cor ou maleabilidade. O tingimento é realizado da mesma forma, fervendo a palha com água e anilina por alguns minutos e fixando as cores com sal. Após o tingimento as palhas são secas ao sol e estão prontas para serem trabalhadas.  

Quem cria?

O grupo de 25 mulheres trabalha com trançado de palha de milho e carnaúba há mais de vinte anos e tem no artesanato a principal fonte de renda. Coordenadas por Zuleide, reúnem-se em sua casa para discutirem questões coletivas, dividir pedidos, produzir e organizar a comercialização. Desde o início contam com apoio do CEART - Centro de Artesanato do Ceará, tiveram muitos cursos de capacitação aprimorando os produtos e gestão. Além das feiras e rodadas de negócios, comercializam os produtos para lojistas de todo Brasil. 

Onde criam

Contam os moradores mais antigos que o município de Palhano, localizado a 158 km da capital Fortaleza, foi fundado por José Palhano, que chegou no território no final do século XIX. Em 1901 cravou uma cruz, benta pelo Frei Davi, que deu o primeiro nome do lugarejo, que chamava-se Cruz Palhano. Depois de um tempo passou a chamar-se Vila Palhano e hoje somente Palhano. Mas há também quem diga que o nome é devido ao trabalho com a palha de carnaúba, abundante na localidade. 

As incontáveis carnaubeiras que compõem a paisagem são de muita relevância para a cultura local. É das palmeiras que provém o sustento de inúmeras famílias da região que têm o artesanato ou beneficiamento da cera como principais atividades econômicas.