Berilo/MG

A produção artesanal de Berilo é organizada em torno de 3 associações comunitárias em Roça Grande, Engenho Velho e Barra do Ribeirão, onde os artesãos estão envolvidos no projeto Vale de Tramas do Artesanato Solidário.

Tema: Tecelagem - 2000 e 2002-2003 (2 Intervenções)

Cidade: Berilo/MG

Duração: 2 anos

Artesãos Beneficiados: 51   

Gênero: a maioria mulheres

O município de Berilo, no Vale do Rio Jequitinhonha, em Minas Gerais, é conhecido pela excelência de sua tecelagem. A tradição têxtil da região foi relatada pelos viajantes e remonta ao século XVIII. Ao longo das gerações, as mulheres desse lugarejo se dedicam ao intenso trabalho de cardar, fiar e tecer o fio de algodão. Construindo uma composição de desenhos geométricos e figurativos, ao entremear fios de algodão de cor natural caramelo (ganga) ou colorido, criam motivos que retratam o cotidiano e a visão de mundo de sua comunidade. Algumas das cores aplicadas em sua tecelagem são produzidas a partir de árvores ou plantas regionais como o angico, o jenipapo e o mirixi, entre outras.

Os moradores dos bairros rurais de Roça Grande, Barra do Ribeirão e Engenho Velho têm o plantio do feijão e do milho como principal atividade, mas é com a renda da produção de tecidos que atendem às necessidades básicas da família. Além disso, a tecelagem tem servido como alternativa ao trabalho de boia-fria nos canaviais de São Paulo para os poucos homens que se aventuram neste ofício.

A produção artesanal de Berilo encontra-se organizada em torno de 3 associações comunitárias em Roça Grande, Engenho Velho e Barra do Ribeirão, onde os artesãos estão envolvidos no projeto Vale de Tramas do Artesanato Solidário.

A tecelagem manual de Berilo é feita em tear mineiro com 2 quadros de liço, onde os desenhos são executados durante o tecer, em alto relevo. Essa singularidade da técnica têxtil local identifica o trabalho.

Parceiro Financiador: