Rio Real/BA

A cerâmica do município baiano de Rio Real é feita, nas localidades de Carro Quebrado e Rebolo, por mulheres que seguem uma tradição passada de mãe para filha.

Tema: Cerâmica - 2000 E 2002-2003

Cidade: Rio Real/BA

Duração: 2000 e 2002-2003

Artesãos Beneficiados: 12

Gênero: mulheres

A cerâmica do município baiano de Rio Real é feita, nas localidades de Carro Quebrado e Rebolo, por mulheres que seguem uma tradição passada de mãe para filha. Elas produzem potes lisos, decorados e em altorrelevo, moringas simples, como gomos (quando recebem o nome de pitanga), em forma de galinha, em forma de cabaça (com dois ou três bojos), além de talhas, filtros, mealheiros e alguns outros itens do repertório doméstico. Os trabalhos feitos com barro em Rio Real representam claramente a expressão técnica e artística de um artesanato que absorveu a fertilidade criadora da cerâmica indígena, já existente quando do descobrimento, e a influência cultural dos colonizadores portugueses.

O processo de produção obedece a alguns princípios comuns a muitos polos produtores de cerâmica popular no país: os homens participam das etapas consideradas mais árduas, como extração e transporte do barro e, por vezes, da queima, feita em forno a céu aberto. Às mulheres ficam reservadas a modelagem e a decoração das peças, com pigmento mineral de cor vermelha, popularmente denominado tauá, e tabatinga, pigmento de cor branca. Esta cerâmica é parte do Patrimônio Imaterial Brasileiro.

Parceiro Financiador: