Sil da Capela, livro conta história da cortadora de cana que virou artista popular

crédito fotos: Galeria Pontes  e editora Provisual

Toda uma civilização sertaneja moldada no barro: são homens e mulheres do povo, festas de casamento matuto, cavalos, charretes e namoros em baixo do pé de jaca, uma das peças-símbolo do trabalho da ceramista Sil, a cortadora de cana alagoana que virou uma das mais expressivas artistas populares do Brasil. Sua história agora está registrada no livro: “Do barro eu vim, do barro eu sou”, assinado pela jornalista Naíde Nóbrega, que será lançado em Recife, no dia 17 de janeiro, na Galeria Sobrado 7.

Muitas das peças da alagoana também retratam brincadeiras de infância, meninas com bonecas, crianças jogando bolas de gude e cirandas de roda. Brincadeiras que Sil pouco desfrutou porque trabalhou desde muito cedo em canaviais da Zona da Mata alagoana para ajudar na criação dos 11 irmãos mais novos junto aos pais no povoado de Cajueiro. Nessa época o cotidiano era sofrido, sem infância, sem escola, sem diversão.

Aos 16 anos, ela tentou escapar da realidade espinhosa fuigindo com o namordo para o povoado de Capela, onde acabou tendo a filha Cristina, com epilepsia e autismo. Na busca de caminhos para tentar dar um fututo melhor para ela, participou de uma oficina do Sebrae para mães com filhos com deficiência. Foi quando conheceu João das Alagoas, considerado patrimônio vivo do estado.  Encantada com a vocação do artista que transformava barro em arte, resolveu ir trabalhar com o mestre e logo se tornou sua mais talentosa discípula, apesar de enfrentar desafios como o de ser a ùnica mulher em um ateliê apenas de homens numa época de profundo machismo no Nordeste.

Vinte e quatro anos depois (em 2019 ela completa 40 anos), hoje é considerada pelos mais importantes galeristas de arte popular do Brasil, marchands e colecionadores a maior descoberta da arte popular do Brasil nas últimas décadas. O livro traz a opinião de muitos deles, além de fotos de peças das diversas etapas da carreira da artista.

Em 2017, Sil participou de uma novela da Globo (A Lei do Amor) interpretando ninguém menos que si mesma (contracenando com Reynaldo Gianecchini e Claudia Abreu, que fazia uma galerista). Atualmente, a artista vende para todo o Brasil e muitos países do exterior, incluindo galerias de Nova York e da Europa.

foto: Sedetur Alagoas

O livro da autora pernambucana foi escrito numa linguagem muito simples e leve, atendendo ao pedido da própria Sil, que voltou a estudar para conseguir ler sozinha a história da própria vida. “Quero que seja curtinho, bonito e fácil de ler, como o Pequeno Príncipe”, primeiro e único livro lido pela artista até agora.

Do barro eu vim, do barro eu sou fala de arte popular, fala de cultura, mas, principalmente, conta uma história de garra de uma mulher nordestina. “Tudo começou com o problema de saúde da minha filha. Se não fosse Cristina e a necessidade de buscar dinheiro para pagar seus remédios, nada disso teria acontecido. Ela nos deu tudo o que temos”, repete inúmeras vezes a alagoana, que hoje tem mais dois filhos com o seu companheiro André.

Sil continua vivendo na pacata Capela, mas estará no Recife neste dia 17 de janeiro juntamente com a escritora Naide para uma emocionante noite de autógrafos numa das galerias de arte mais sofisticadas da cidade. Está aprendendo a escrever a palavra “Gratidão” para registrar o seu maior sentimento em cada livro que autografar.

Créditos: Galeria Pontes e Galeria Tina Zapolli

Sobre a autora
Aos  43 anos, sendo 21 dedicados à comunicação, a jornalista pernambucana Naide Nóbrega hoje mora na Espanha e foi convidada pela editora Provisual para o projeto de Sil da Capela. Apaixonada pelo Nordeste, não hesitou em aceitar o desafio e entrevistou a artista alagoana pelo celular durante cerca de seis meses. “Foram muitas trocas de áudios, muitas conversas e muitas lágrimas. Uma mulher da minha geração, com uma vida tão diferente da minha, mas com vários pontos em comum comigo: muita fé, muita garra, muita vontade de fazer acontecer. Somos mulheres transformadoras e apaixonadas por tudo o que fazemos.

 

Serviço

Lançamento do LIVRO “DO BARRO EU VIM, DO BARRO EU SOU”

Data: 17 de janeiro
Horário: 17h
Endereço:  Galeria Sobrado7, Shopping Rio Mar, Recife/PE
 

Ficha técnica:

Editora: Provisual
Diagramação e ilustrações: Luciana Oliveira, DH, LO Creative Boutique.

Para comprar o livro:
Escreva para o instagram @dobarroeuvim
 

Conteúdos relacionados